Petrobras. Relacionamento com Investidores

Petrobras

Relações com Investidores

Plano Diretor para Desenvolvimento da Produção de Gás Natural e Petróleo da Bacia de Santos

Rio de Janeiro, 11 de janeiro de 2006 - PETRÓLEO BRASILEIRO S/A - PETROBRAS, [Bovespa: PETR3/PETR4, NYSE: PBR/PBRA, Latibex: XPBR/XPBRA], uma companhia brasileira de energia com atuação internacional, comunica que aprovou o Plano Diretor para Desenvolvimento da Produção de Gás Natural e Petróleo da Bacia de Santos e que a sua mais nova unidade de exploração e produção será instalada na cidade de Santos (SP). A Petrobras e seus parceiros deverão investir cerca de US$ 18 bilhões, nos próximos 10 anos, em atividades de exploração e produção naquela Bacia.

O Plano Diretor prevê um acréscimo de cerca de 12 milhões de m3/dia no fornecimento de gás ao mercado do Sudeste, já a partir do segundo semestre de 2008. Até o final de 2010, esse volume deverá elevar-se para aproximadamente 30 milhões de m3/dia, contribuindo significativamente para reduzir a dependência nacional do gás importado.

O desenvolvimento da Bacia de Santos está assentado em cinco pólos de produção:

Merluza
Localizado no Estado de São Paulo, a cerca de 200 Km de Santos, o pólo Merluza produz atualmente 1,2 milhão de m3/dia de gás e 1.600 barris por dia de condensado. Ali serão implantados novos projetos:

• Ampliação da produção da plataforma Merluza-1 (campos de Merluza, Lagosta e a área do poço SPS-25), que passará a produzir 2,5 milhões de m3/dia de gás em 2008;
• Instalação da plataforma Merluza-2, com capacidade para 8 milhões de m3/dia de gás e 25 mil barris por dia (bpd) de óleo e condensado.
Esse pólo tem potencial para atingir uma produção de 9 a 10 milhões de m3/dia de gás em 2010.

Mexilhão
Também localizado no Estado de São Paulo, a cerca de 140 Km do Terminal de São Sebastião, o pólo Mexilhão terá capacidade para produzir até 15 milhões de m3/dia de gás e 20 mil bpd de óleo e condensado. O principal projeto desse pólo, que inclui o campo de Mexilhão e a área de Cedro, produzirá de 8 a 9 milhões de m3/dia de gás a partir do segundo semestre de 2008. A capacidade total desse pólo deverá ser atingida no início da próxima década, com a entrada em produção de novas áreas localizadas no entorno e em horizontes mais profundos do campo de Mexilhão.

A Petrobras deverá instalar uma planta de tratamento de gás no litoral paulista, integrada aos projetos de ampliação do Pólo Merluza e de desenvolvimento do pólo Mexilhão.

BS-500
O desenvolvimento desse pólo, localizado no Estado do Rio de Janeiro, a cerca de 160 Km da capital, prevê a instalação de sistemas de produção de gás e óleo. Ele deverá produzir, no futuro, cerca de 20 milhões de m3/dia de gás e de 150 a 200 mil bpd de óleo.

Sul
Esse pólo está situado a cerca de 200 Km da costa dos estados de São Paulo, Paraná e Santa Catarina. Nele já opera a plataforma de Coral, localizada no Paraná, que produz, atualmente, 9 mil bpd de óleo. Nesse mesmo pólo, a partir de 2008, deverá entrar em operação o campo de Cavalo-Marinho, localizado em Santa Catarina, com produção estimada próxima à de Coral.

O Plano Diretor da Bacia de Santos prevê, também, a implantação de novos projetos para o pólo Sul, estimandose uma produção futura de cerca de 140 mil bpd de óleo e de 3 milhões de m3/dia de gás.

Centro
A fase atual do desenvolvimento desse pólo, que está situado a cerca de 250 Km da costa dos estados de São Paulo e do Rio de Janeiro, ainda é exploratória. A Petrobras aposta no grande potencial dessa área, também denominada de “cluster” da Bacia de Santos. Confirmada a expectativa dessa área, uma das possibilidades de aproveitamento da produção local será o envio do gás para a plataforma de Mexilhão e sua transferência para tratamento em planta localizada no litoral de São Paulo.

A Bacia de Santos
A Bacia de Santos está localizada numa área de cerca de 352 mil km2 e se estende pelo litoral sul do Estado do Rio de Janeiro, passando por toda a costa de São Paulo e do Paraná, e pela parte norte do litoral de Santa Catarina.

A Petrobras e seus parceiros detêm 40.663 km2 de concessões exploratórias nessa bacia. Cerca de 52% da área sob concessão localizam-se no Estado de São Paulo. O restante está situado nos estados do Rio de Janeiro (35%), Santa Catarina (7%) e Paraná (6%).

A produção da Bacia de Santos contribuirá decisivamente para a consolidação do mercado brasileiro de gás natural e para a auto-suficiência no abastecimento de petróleo do país.

Última atualização em 

Close