Petrobras. Relacionamento com Investidores

Petrobras

Relações com Investidores

Transportadora de gás Urucu-Manaus recebe financiamento do BNDES

Rio de Janeiro, 12 de dezembro de 2007 – PETRÓLEO BRASILEIRO S/A - PETROBRAS, [Bovespa: PETR3/PETR4, NYSE: PBR/PBRA, Latibex: XPBR/XPBRA, BCBA: APBR/APBRA], uma companhia brasileira de energia com atuação internacional, comunica que foi concedido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) o financiamento  de R$ 2,49 bilhão à sociedade de propósito específico (SPE) Transportadora  Urucu-Manaus S.A., responsável pela construção do gasoduto de transporte de gás natural de 383 Km de extensão e 20 polegadas de diâmetro, ligando Coari a Manaus, bem como pela construção de ramais de distribuição para atender a sete municípios localizados ao longo do percurso do gasoduto. Os recursos financeiros serão aplicados também na construção de duto de 10 polegadas para o transporte de gás liquefeito de petróleo (GLP), de 279 Km de extensão, para ligar o Pólo Arara, em Urucu, ao Terminal de Solimões, em Coari, no Estado do Amazonas.

O gás natural será utilizado inicialmente para a geração de energia em termelétrica, em substituição ao óleo combustível, na cidade de Manaus, e, posteriormente, para atender a necessidades dos setores industrial, comercial e residencial da região.

O gasoduto terá dois pontos de entrega na cidade de Manaus, sete ramais de distribuição com comprimento de 126Km, para entregar gás em municípios próximos ao gasoduto e duas estações intermediárias de compressão de gás. O projeto prevê ainda  a readaptação de um duto de 18 polegadas de diâmetro, existente entre Urucu e Coari, que será interligado com a linha de 20 polegadas para permitir o escoamento da produção do gás natural.

O gasoduto terá capacidade inicial de transporte de 5,5 milhões m3/dia de gás natural, e o início da operação está previsto para dezembro de 2008.

Em relação à responsabilidade social e ambiental, foi firmada parceria com o Governo do Estado do Amazonas para o desenvolvimento de programas sustentáveis, coordenados pela Secretaria de Desenvolvimento Sustentável (SDS), com o objetivo de realizar ações capazes de compensar impactos ambientais do gasoduto. A expectativa é que a construção do gasoduto gere mais de 3 mil empregos diretos no Amazonas.
 

Última atualização em 

Close