Petrobras. Relacionamento com Investidores

Petrobras

Relações com Investidores

Moody`s mantém classificação de risco em moeda estrangeira e Grau de Investimento da Petrobras

Rio de Janeiro, 18 de junho de 2009 – PETRÓLEO BRASILEIRO S/A - PETROBRAS, [Bovespa: PETR3/PETR4, NYSE: PBR/PBRA, Latibex: XPBR/XPBRA, BCBA: APBR/APBRA], uma companhia brasileira de energia com atuação internacional, comunica que a agência de classificação de risco Moody’s Investor Services anunciou a manutenção do nível de risco (rating) Baa1 da dívida da Petrobras em moeda estrangeira, assim como da sua subsidiária integral PifCo (Petrobras International Finance Company), classificada no mesmo nível.

Segundo a agência, não houve alteração na avaliação da qualidade de crédito e do Risco País, itens avaliados para o “rating” em moeda estrangeira, e a Companhia mantém posição de destaque no setor de óleo e gás.

Adicionalmente, a agência destacou que Plano Estratégico para o período 2009-2013 contemplou o aumento significativo dos investimentos e gerou maior necessidade de financiamento para os próximos anos, conforme anunciado pela Petrobras. Porém, considera que a Companhia vem demonstrando acesso às fontes de financiamento no mercado e que o aumento potencial da dívida nos próximos anos não compromete o seu nível de rating, dada a expectativa de crescimento da produção e o baixo nível de alavancagem atual da Petrobras. A Moody´s enfatiza a flexibilidade que a Companhia tem de ajustar o Plano de Investimentos para gerenciar o nível de endividamento e possíveis mudanças de cenário.

A Moodýs confirmou o “rating” da Petrobras em escala nacional em Aaa.br, mas reviu o “rating” global em moeda local da Companhia, de A2 para A3. Segundo a agência, esta revisão ocorreu em função do maior grau de correlação entre a Companhia e o Governo Federal, evidenciada pelo aumento do volume de financiamentos junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES, banco controlado pelo Governo Federal.

A Petrobras reafirma o compromisso de manter sua estrutura de capital em níveis compatíveis com um sólido grau de investimento, considerando que a realização do seu Plano de Negócios propiciará o aumento significativo de sua produção de óleo e gás natural, atingindo 3,6 milhões de boed em 2013 e 5,7 milhões de barris boed em 2020.

Destaca ainda que, utilizando as premissas de preços adotadas no Plano de Negócios, que estão em linha com os preços atuais, e considerando as captações já contratadas durante o ano de 2009, no valor total de US$ 31 bilhões, o plano de investimento da Companhia encontra-se completamente financiado até 2013 e que o perfil atual de vencimento da dívida da Companhia encontra-se bem distribuído, garantindo o crescimento projetado com sustentabilidade.

Última atualização em 

Close