Comunicados e Fatos Relevantes

Confira a íntegra dos nossos Comunicados e Fatos Relevantes divulgados ao mercado.

Reservas Provadas da Petrobras em 2018

30/01/2019

Rio de Janeiro, 30 de janeiro de 2019 – Petróleo Brasileiro S.A. - Petrobras informa o volume de suas reservas provadas de petróleo (óleo, condensado e gás natural), apuradas no final de 2018, segundo os critérios ANP/SPE (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis / Society of Petroleum Engineers) e SEC (US Securities and Exchange Commission).

Reservas Provadas segundo critérios ANP/SPE

Segundo os critérios ANP/SPE, em 31 de dezembro de 2018, as reservas provadas de óleo, condensado e gás natural da Petrobras atingiram 11,957 bilhões de barris de óleo equivalente (boe), conforme a Tabela 1. Em 2017, estes volumes eram de 12,415 bilhões de boe.

Tabela 1 – Volumes de Reservas Provadas em 2018 (critérios ANP/SPE)

Discriminação

Reservas Provadas ANP/SPE

Óleo e Condensado (bilhão bbl)

10,173

Gás Natural (bilhão m3)

284,085

Óleo Equivalente (bilhão boe)

11,957

 

A Tabela 2 e o Gráfico 1, a seguir, detalham a evolução das reservas provadas em 2018, segundo os critérios ANP/SPE. 

 

Tabela 2 – Evolução das Reservas Provadas em 2018 (critérios ANP/SPE)

Composição das Reservas Provadas

Petrobras

(bilhão de boe)

 a)      Reservas Provadas Dezembro/2017

12,415

b)     Apropriações em 2018

0,826

  c)     Compra e Venda em 2018

-0,421

d)     Produção do ano de 2018  [1]

-0,863

e)     Variação anual (b+c+d)

-0,458

f)      Reservas Provadas Dezembro/2018 (a+e)

11,957

 
 

[1] Esse volume inclui o volume produzido pelo xisto e não considera a produção dos Testes de Longa Duração (TLD) em blocos exploratórios no Brasil, dado que se referem a áreas exploratórias, sem declaração de comercialidade, portanto ainda sem reservas associadas. A produção também não considera o volume de gás injetado. Além disso, este volume não inclui a produção da Bolívia, uma vez que, de acordo com o artigo 357 da Constituição boliviana (promulgada em 07/02/2009), as reservas, neste país, não podem ser registradas pelo concessionário.

 

Gráfico 1 – Evolução das Reservas Provadas em 2018 (critérios ANP/SPE)

A Petrobras conseguiu repor 96% do volume produzido, desconsiderando os efeitos dos desinvestimentos realizados em 2018, devido, principalmente, à perfuração de novos poços, às respostas positivas à injeção de água e ao bom desempenho dos reservatórios no pré-sal das bacias de Santos e Campos. A relação entre o volume de reservas provadas e o volume produzido é de 13,9 anos.

As operações de desinvestimentos proporcionaram a monetização antecipada de 0,421 bilhão de boe referentes a: cessão de direitos de 35% da participação do campo de Lapa e 22,5% da participação dos campos de Berbigão, Sururu e Oeste de Atapu para a Total; cessão de 25% do campo de Roncador, concretizando a parceria estratégica com a Equinor; e formação da Joint Venture da Petrobras América Inc. com a Murphy Exploration & Production Co.

Reservas Provadas segundo critério SEC

Segundo o critério SEC, em 31 de dezembro de 2018, as reservas provadas de óleo, condensado e gás natural da Petrobras atingiram 9,606 bilhões de barris de óleo equivalente (boe), conforme a Tabela 3. Em 2017, estes volumes eram de 9,752 bilhões de boe.

Tabela 3 – Volumes de Reservas Provadas em 2018 (critério SEC)

Discriminação

Reservas Provadas SEC

Óleo e Condensado (bilhão bbl)

8,261

Gás Natural (bilhão m3)

214,286

Óleo Equivalente (bilhão boe)

9,606

 

A evolução das reservas provadas, segundo critério SEC, consta na Tabela 4 e no Gráfico 2, a seguir:

 

Tabela 4 – Evolução das Reservas Provadas em 2018 (critério SEC)

Composição das Reservas Provadas

Petrobras

(bilhão de boe)

  a)     Reservas Provadas Dezembro/2017

9,752

b)     Apropriações em 2018

1,076

  c)    Compra e Venda em 2018

-0,359

d)     Produção do ano de 2018 [2]

-0,863

e)     Variação anual (b+c+d)

-0,146

f)      Reservas Provadas Dezembro/2018 (a+e)

9,606

 
 

[2] Esse volume inclui o volume produzido pelo xisto e não considera a produção dos Testes de Longa Duração (TLD) em blocos exploratórios no Brasil, dado que se referem a áreas exploratórias, sem declaração de comercialidade, portanto ainda sem reservas associadas. A produção também não considera o volume de gás injetado. Além disso, este volume não inclui a produção da Bolívia, uma vez que, de acordo com o artigo 357 da Constituição boliviana (promulgada em 07/02/2009), as reservas, neste país, não podem ser registradas pelo concessionário.

Gráfico 2 – Evolução das Reservas Provadas em 2018 (critérios SEC)

 

Pelo critério SEC, a Petrobras conseguiu repor 125% do volume produzido, desconsiderando os efeitos dos desinvestimentos realizados em 2018. A relação entre o volume de reservas provadas e o volume produzido é de 11,1 anos.

A Petrobras, historicamente, submete à certificação pelo menos 90% de suas reservas provadas segundo o critério SEC. Atualmente, a empresa certificadora é a D&M (DeGolyer and MacNaughton).