Comunicados e Fatos Relevantes

Confira a íntegra dos nossos Comunicados e Fatos Relevantes divulgados ao mercado.

Fato Relevante - Monitoramento Estratégico e Plano de Negócios e Gestão 2018-2022

21/12/2017

Rio de Janeiro, 21 de dezembro de 2017 – Petróleo Brasileiro S.A. – Petrobras informa que seu Conselho de Administração aprovou, em reunião realizada ontem, o Plano de Negócios e Gestão 2018-2022 (PNG 2018-2022).

O Conselho também aprovou o processo de Monitoramento Estratégico, baseado no Plano Estratégico divulgado em setembro de 2016, que consiste na avaliação permanente do ambiente de negócios e da implementação do plano, permitindo que ajustes no direcionamento sejam realizados de forma mais ágil e eficaz.

O PNG 2018-2022 mantém como base as duas métricas de topo principais, uma de segurança e outra financeira, conforme já definidas no PNG 2017-2021 e que continuam orientando as ações estratégicas da empresa:
•    A métrica de segurança foi antecipada em dois anos: o limite da Taxa de Acidentados Registráveis por milhão de homens-hora (TAR) foi reduzido de 1,4 para 1,0 em 2018;
•    A meta de alavancagem financeira foi mantida: Dívida líquida/EBITDA ajustado de 2,5 em 2018.

Monitoramento Estratégico

O processo contínuo de monitoramento estratégico tomou como base a Visão e os seus cinco princípios fundamentais que definem o que a Petrobras quer ser:

“Uma empresa integrada de energia com foco em óleo e gás que evolui com a sociedade, gera alto valor e tem capacidade técnica única”; tendo como valores o respeito à vida, às pessoas e ao meio ambiente; ética e transparência; orientação ao mercado; superação e confiança; e resultados.

O processo promoveu ajustes no conjunto de estratégias, com incorporação de três novos temas: (1) a transição para uma economia de baixo carbono; (2) a preparação da companhia para capturar oportunidades advindas da transformação digital; e (3) otimização da gestão financeira e de riscos da companhia; resultando em um total de 20 estratégias, refletidas em 78 iniciativas estratégicas. As iniciativas são desdobradas até o nível de supervisão, com acompanhamento sistemático, de forma a assegurar disciplina na sua execução.


Os cinco princípios fundamentais são traduzidos nas 20 estratégias apresentadas a seguir:

Integração eficiente:

•    Reduzir o risco da Petrobras, agregando valor na atuação em E&P, Refino, Transporte, Logística, Distribuição e Comercialização por meio da gestão ativa de portfólio através de parcerias, aquisições e desinvestimentos

•    Reestruturar os negócios de Energia Elétrica, buscando a alternativa que maximize o valor para a empresa

Energia, com foco em óleo e gás:

•    Gerir o portfólio exploratório visando maximizar a economicidade e garantir a sustentabilidade da produção de óleo e gás

•    Gerir de forma integrada o portfólio de projetos de E&P

•    Otimizar o portfólio de negócios, saindo integralmente das atividades de produção de biocombustíveis, distribuição de GLP, produção de fertilizantes e das participações em petroquímica, preservando competências tecnológicas em áreas com potencial de desenvolvimento

•    Maximizar a geração de valor da cadeia de gás como combustível de transição para o longo prazo

Evolui com a sociedade:

•    Fortalecer os controles internos e a governança, assegurando transparência e eficácia do sistema de prevenção e combate a desvios, sem prejuízo da agilidade da tomada de decisão

•    Resgatar a credibilidade e fortalecer a relação e a reputação da Petrobras junto a todos os públicos de interesse, incluindo os órgãos de controle e supervisão da empresa, mantendo um diálogo transparente, respeitoso e proativo

•    Preparar a Companhia para um futuro baseado em uma economia de baixo carbono

•    Capturar as oportunidades criadas pela transformação digital, aplicando novas tecnologias aos processos da Companhia e/ou gerando novos processos ou novos negócios, com foco na agregação de valor


Empresa determinada a gerar valor:

•    Garantir disciplina do uso de capital e retorno aos acionistas em todos os projetos da Petrobras, com alta confiabilidade e previsibilidade na sua entrega

•    Otimizar continuamente a produtividade e os custos de acordo com as melhores práticas internacionais

•    Gerir o processo de contratação de bens e serviços com foco em valor, alinhado a padrões e métricas internacionais, atendendo aos requisitos de conformidade, mantendo flexibilidade em cenários adversos e de volatilidade de demanda e contribuindo para o desenvolvimento da cadeia como um todo

•    Promover gestão da nossa força de trabalho em ambiente de cultura
participativa e de confiança mútua orientada para resultados que agreguem valor, com segurança, ética, responsabilidade, estímulo ao debate, meritocracia, simplicidade e conformidade

•    Fortalecer a gestão de reservatórios para maximizar o valor dos contratos de E&P em todos os regimes regulatórios, em busca de oportunidades para contínua incorporação de reservas

•    Promover política de preços de mercado e maximização de margens
na cadeia de valor

•    Otimizar a gestão financeira e de riscos da companhia

Capacidade técnica:

•    Garantir constante desenvolvimento de competências tecnológicas em áreas com potencial de desenvolvimento, fortalecendo o desempenho do negócio atual

•    Priorizar o desenvolvimento da produção em águas profundas, atuando prioritariamente em parcerias estratégicas, congregando competências técnicas e tecnológicas

•    Viabilizar a concepção e implantação de projetos com baixo preço de equilíbrio de petróleo, com segurança e atendimento aos requisitos ambientais


Plano de Negócios e Gestão 2018-2022

O Plano de Negócios e Gestão 2018-2022 tem como foco a segurança e a redução da alavancagem financeira.

A métrica de segurança considera a Taxa de Acidentados Registráveis (TAR), que é uma métrica amplamente utilizada na indústria de petróleo e gás. O limite da TAR para o ano de 2018 foi alterado de 1,4 para 1,0 em função da implantação do Programa Compromisso com a Vida em 2017, que teve 100% das suas ações concluídas, contribuindo para a redução da TAR em cerca de 50%, ou seja, de 2,15 em 2015 para 1,08 em outubro/2017. Esse programa terá um novo ciclo, contendo ações pautadas na segurança dos processos e incorporadas aos princípios e diretrizes que abrangem também as dimensões de Meio Ambiente e Saúde.

O indicador financeiro continua sendo o Dívida Líquida/EBITDA ajustado, com a meta de 2,5 em dezembro de 2018. O objetivo é que o indicador seja declinante e convergente, até 2022, com a média mundial das principais empresas do setor.
Os principais pilares do Plano são:  preços competitivos,  eficiência de capex,  eficiência do opex e  programa de parcerias e desinvestimentos.
As premissas de preço médio do Brent e taxa média de câmbio adotadas para planejamento foram consideradas conforme tabela abaixo:

A carteira de investimentos do PNG 2018-2022 mantém o mesmo nível de investimentos em relação ao PNG 2017-2021 e continua priorizando os projetos de exploração e produção de petróleo no Brasil. Nas demais áreas de negócios, os investimentos destinam-se, basicamente, à manutenção das operações e a projetos relacionados ao escoamento da produção de petróleo e gás natural e estão distribuídos conforme os gráficos abaixo:

 


Em relação aos custos operacionais, a companhia continua com esforços de redução, prevendo um montante de US$ 136,8 bilhões de gastos operacionais gerenciáveis no PNG 2018-2022.

O programa de parcerias e desinvestimentos é uma parte importante do Plano e sua realização atingiu o valor de US$ 13,6 bilhões no biênio 2015-2016, já para o biênio 2017-2018 a meta é de US$ 21 bilhões.

Essas iniciativas, associadas a uma geração operacional de caixa estimada em US$ 141,5 bilhões, após dividendos, permitirão à Petrobras realizar seus investimentos e reduzir seu endividamento, sem necessidade de novas captações líquidas no horizonte do Plano.

Fontes e Usos 2018-2022
(US$ bilhões)

Curva de Produção de Óleo, LGN e Gás Natural

A Companhia espera alcançar uma produção total de óleo e gás, no Brasil e no exterior, de 3,55 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boed) em 2022, sendo 2,88 milhões de barris por dia (bpd) de óleo e líquido de gás natural (LGN) no Brasil, já considerando os investimentos, as parcerias e os desinvestimentos.

Produção de Óleo, LGN e Gás
(Milhões de boed)

Gestão de Riscos

A Petrobras continua adotando iniciativas especificas para o aprimoramento da gestão de riscos, incluindo a identificação e o planejamento de ações de mitigação, de modo a permitir resposta tempestiva e adequada, em qualquer cenário.

Dentre os principais riscos identificados, destacam-se:
•    Mudanças relevantes nas condições de mercado, como volatilidade de preços de petróleo e gás natural, venda de produtos e margens;
•    Grandes acidentes / Integridade de ativos;
•    Realização de parcerias e desinvestimentos;
•    Atraso na construção de plataformas;
•    Processos judiciais e contingências.